Juntas no amor, na família e no sexo.

Eu reflito muito sobre isso, e não consigo encontrar nada errado, quando as pessoas realmente desejam isso. Mãe e filha juntas na vida sexual, desde que maduras o bastante para saberem o que querem da vida, o que tem de errado?
Para mim, nada!

Reli alguns relatos, e tenho recebido bastantes pedidos de ajuda, de conselhos e opiniões pelo meu e-mail (baronesahungara@gmail.com), e começo a ver que são realmente muitas pessoas com essa realidade nos pensamentos e desejos. Mães e filhas, filhas e pais, irmãos e irmãs, que se amam e se desejam, e que até vivem relações juntos, sexuais ou amorosas.


E cada dia concluo mais que o único perigo nisso é viver na clandestinidade absoluta. Acho que tem sim que ser discreto, mas na clandestinidade, pode dar problemas muito mais graves, inclusive encobrir abusos.




 










O Primo

Nesses tantos meses, mais de ano desse blog, já recebi tanto relato de primos e primas, que nem sei. Mas esse aqui me surpreendeu, foi inusitado!



"Oi baroneza

Meu nome é Pri, de SC. Vim contar essa que me caiu o queixo. Meu primo que é maior gato, passou o rodo nas minhas amigas no ano passado veio de novo aqui pra casa. 


Cheguei de uma festa com minha prima que é irmã dele, e escutamos algo na salinha dos fundos que tem um sofá velho. Fui lá espiar que tinha certeza que meu primo tava mandando ver na minha amiga que ele tava falando de tarde. Cheguei escondida pra ver, e era meu pai que tava mandando ver no meu primo. Isso mesmo meu pai tava comendo meu primo que nem mulherzinha! !! !!1

Vc jah viu isso acontecer"? (Pri - SC)
_______________________________

Olha, Pri, pra ser muito franca, eu nunca vi. Mas acredito, viu?


Educar para a felicidade

Seja hipócrita o quanto você quiser. Mas você está educando as jovens fêmeas a serem assim:


Mas muitas de nós logo descobrimos que a real felicidade é estar assim:








Degústibus

Esses dias encontrei aquele rapaz, de passagem, numa loja de roupas. Numa Renner, pra ser exata. Foi rápido, ele estava com um casal de senhores, deviam ser seus pais. Ele sorriu tímido, cumprimentou sem dar entradas, e se afastou meio rápido.

Adoraria lembrar o nome dele, mas não consigo. Só lembro do gosto. O gosto do pau. Grosso, curto, bem meloso. Molhava rápido e fácil, a camisinha não parava de melar e ficar esticando uma longa ponta, cheia daquela gosminha gostosa de macho.

O tempo era curto, a ocasião difícil, era numa festa de aniversário da cunhada de uma amiga. Foi no quarto da piscina, bem ligeirinho mesmo. Ele deu poucas metidas em mim, a camisinha atrapalhou. Então chupei, sem ela. Ele jorrou rápido, e bem farto. Gosto bom, cheiro bom, me marcou!

Mas o nome, não tem jeito. Não sei se esqueci, ou se nunca soube.



Dono de Mãe e Filha

-"Olá, deliciosa musa inspiradora dos devassos da internet! Bom ter você de volta. Vi muitas coisas no seu blog, algumas abordagens muito corajosas e polêmicas. Por isso tomei coragem e espero que você tenha também, de publicar a história que eu vivo. Há 8 anos tenho uma relação de Dominância e subserviência com uma mulher, fetichista como eu, que é casada, e quase não tinhamos contato na vida pessoal. Ela tem minha faixa etária, em torno de perto de 40 anos.


Faz cerca de um ano, terminamos a relação, e conheci uma moça pela internet, bastante jovem, quase metade de minha idade, também fetichista. Levou apenas um mês de conversa para descobrir que era filha de minha ex-submissa. Mais surpreso ainda fiquei quando revelei isso pra ela, e ela simplesmente alegou que já sabia disso. E que ainda assim desejava uma relação comigo. E sim, sucumbi ao imenso desejo que isso me despertou, e saímos juntos. Tivemos o que chamamos de Sessão no nosso fetichismo, e foi ótimo. 


Descobri, pouco mais de um mês depois, que ela revelou isso também à mãe dela, que não se chocou. Pelo contrário, encorajou a menina. E me procurou, dizendo que confiava em mim para conduzir sua filha pelo fetichismo. 

Não posso negar que meu desejo me levou a ampliar ainda mais o horizonte, e agora tenho um relacionamento com as duas. Vejo cada uma delas uma vez por semana, mas combinamos que não seria juntas, preferimos assim. E tem sido maravilhoso, há quase seis meses. Vivemos algo sublime envolvendo sexo, fetichismo e algo que só pode ser chamado de amor incondicional.

Sei que isso despertará críticas, e coloco meu e-mail à disposição para receber e contestar essas críticas: [endereço suprimido]

Parabenizo você, Baronesa, por disponibilizar este espaço maravilhoso para discutir abertamente e sem hipocrisias esses temas polêmicos que a sociedade prefere fingir que ignora.
Um grande abraço de seu amigo Lord Z. - PR".
____________________________________

Olá, "Lord".
Primeiro, suprimi seu endereço de e-mail, se alguém quiser seu contato pode me pedir, passo depois pra você (baronesahungara@gmail.com).
Sua história parece um pouco absurda, é verdade. Mas quando conto a minha, entendo que posso estar sendo preconceituosa, pois mais absurda que a minha é difícil. Conheço esse fetichismo, e sei que pode levar a isso, pois acho que eu mesma viveria isso com minha filha diante de um homem "de verdade". Difícil é existir um!
Espero que todos os envolvidos dessa história estejam realmente conscientes dos riscos emocionais e psicológicos disso, e que sejam muito felizes enquanto puderem ser.
Seja homem e honesto com as duas sempre. E quando decidir sair fora, saia da vida de ambas, certo?
Baronesa Húngara

Aquela Gota Maravilhosa






Nada tem um sabor mais mágico do que aquela deliciosa gotinha.




Juventude Criativa

Eu tive uma. E você, vai confessar ou ser hipócrita?


Meus Orgasmos Ocultos em Público

Raramente gozo. Quase sempre, me masturbando. Quando estou com homens, gosto que gozem rápido, me satisfaço mais assim. Gozar, no sexo a dois, ou três, ou mais, parece que me atrapalha um pouco. Gosto de estar plenamente consciente quando os vejo perderem um pouco a consciência no gozo deles.



Mas às vezes gosto de colocar um plug que ganhei de presente de um amigo aqui do Blog, encaixar direitinho, e ir para uma pracinha no centro da cidade, levando minha filha. Geralmente sento e um balanço, enquanto observo ela brincar com as outras crianças, até cansar.
Ali, me embalando, começo a sentir o plug dentro de mim, e me sentir suja, puta, devassa. E é quanto me excito. Geralmente molho o balanço, de tanto que escorro. De vez em quando, eu gozo. E gosto de fantasiar que alguém notou.

Mas apenas uma vez consegui interagir com alguém. Um senhor de uns cinquenta e poucos anos, visivelmente solitário, me olhava e mexia discretamente por dentro das calças, segurando uma pasta no colo. Eu o encarei, com um sorriso completamente devasso. Ele levou menos de um minuto pra se descontrolar levemente, ter um tremor, e sair lentamente, limpando a mão.

Se eu o encontrar novamente, vou ensinar como se masturbar, bem ali, no banco da praça.

Aquele tio que me fez mal


"Eu ainda era adolescente quando tio C* me pegou com os primos fazendo sacanagem. Mandou eles sairem do quarto e me deu uma surra. Hoje sou adulta, e ele um homão charmoso e temos um caso. Minha tia nem sonha, minha mãe me mata se souber. A gente faz as coisas lembrando daquele dia e me convenci que me apaixonei por ele quando apanhei aquela vez e ele também disse isso. A gente sempre chega lá falando nisso tem quase dois anos. Ele viu esse saite e me pediu pra perguntar se acho isso normal aqui". (M.F. Uberlândia)



Normal, M.F., não é nem um pouco não! É uma fantasia de vocês, e você provavelmente ficou com um certo trauma de ter sido flagrada com os primos. Agora, ter experiências com primos na adolescência é completamente normal. Difícil é tios ficarem sabendo e não fingirem que não viram nada, como acontece na maior parte das vezes.
Vocês são adultos, e sentem tesão um pelo outro. Trepem, simples! Curtem lembrar? Lembrem! Eu, no seu lugar, talvez desejasse reviver a história, com outro final. Aposto que já pensaram nisso também, né?

Curta a vida, menina.

Perguntas pra Baronesa?
baronesahungara@gmail.com




Fim de semana sozinha em casa

É meu período favorito!
Dia de revirar o baú de brinquedos que ela não usa mais, ou quase não usa!




Pedido de Casamento

Talvez um dos poucos pedidos de casamento que fizesse Baronesa Húngara se comover!

Por favor, eu quero um desses

Eu preciso de um assim! rsrs
amei!!!!!



Presentes que eu amaria!

Já ganhei alguns presentes interessantes aqui no blog, mas confesso que esse é um presente que eu amaria ganhar. Se alguém souber se existe no Brasil, por favor, me mande contato para baronesahungara@gmail.com

Pois realmente morro de vontade de fazer fotos como esta e postar aqui!




Por que Anal é mais gostoso?

Recebi pelo meu e-mail, baronesahungara@gmail.com, a pergunta de "porque eu gosto mais de anal do que vaginal, e por que acho mais gostoso".



Bom, amigo, eu não acho mais gostoso. Prefiro por que prefiro. Talvez por que comecei a vida sexual assim, desde menina me parecia mais simples, menos pecaminoso. Hoje, adulta, gosto do olhar dos homens quando se sentem completamente recebidos no meu ânus. 




Quando percebem que por mais que façam força, não deixo de sorrir. Não gozo com anal. Nem faço questão. Gosto é de ver homens enormes virando meninos dentro de mim. Ocupam mais espaço no meu bumbum do que na minha memória.

Sei que andei ausente

Sei sim. Foram meses difíceis para mim, nas questões pessoais e íntimas. Mas serviram para ter certeza de muitas coisas.

Uma delas, é a de que sou o que sou para sempre. E o que sempre fui, desde que nasci. Não adianta fugir de minha condição deturpadamente depravada, tarada, e sumariamente infiel.
Vamos brincar?




RECADO DA BARONESA!

Baronesa perdeu a senha do Blog, por isso demorando pra voltar!
Esperamos que ela recupere logo, temos saudades das postagens dela!
E que venha com surpresas de presente!

Ulisses (Colaborador)



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...