A Puta Com Quem Casaste

Sei que às vezes sofres, meu amor. Sofres por ter te casado com uma mulher que amas mais que a ti mesmo, e que teu amor por ela é maior e mais profundo que teu amor próprio. Sofres por que te casaste com a mulher meiga e inteligente que te cativou desde que éramos apenas crianças.


Ainda crianças, viste tua amada em tantos braços, acolhendo dentro do corpo dela tantos meninos e homens, que diante de teus olhos apenas a usavam sem qualquer afeto, sem qualquer respeito, sem qualquer pudor. E sei que amavas de olhos fechados, para não sofrer com os solavancos que os meninos faziam em meio aquele mato nos fundos de nossa escola. Sei que teve raiva deles também, muitas vezes chorou. Jamais os invejaste, pois o que querias de tua amada era muito mais do que o prazer de lhe penetrar o ânus já tão laceado e insensível aos membros tão diversificados, todos os que se podiam revezar nos longos recreios da escola.


Mas sabias que era tua a mão que essa menina tão controversa pegava para sentir-se segura e amada, na hora de ir para casa. E que foi teu o primeiro beijo que abriu o coração para o amor. O amor de uma jovem puta com quem casaste sem perguntar como as coisas seriam no futuro, pois não importaria como fossem, tu me amarias. E sabias que ela talvez não te amasse a vida inteira, e que talvez por vários momentos da vida, sequer te amaria. Teu amor era incondicional e gratuito. Teu amor era real, verdadeiro e puro. Puro e leal, ao ponto de que jamais me faltaste com o respeito, mesmo me vendo ser tratada como qualquer uma, e sentindo um certo prazer com isso, por tantos outros homens.

Sou sua mulher. Sua esposa amada. Mas jamais serei sua puta como sou de outros homens. E você talvez jamais ganhe o direito de me tratar assim, exigir relatos, satisfações ou qualquer coisa. Em troca de seu amor, terá sempre minha dedicação amorosa no tempo que me restar entre as coisas que me fazem feliz no cotidiano e as coisas que me fazem puta. 

Mãe de sua filha, educadora de sua família. A mulher que quase sempre recebe você em casa quando chega cansado do trabalho.

Você pode não ser o único homem que me toca. Mas ninguém jamais me tocará como você.



5 comentários:

  1. Muito bonito este texto...
    Com certeza nasceram um para o outro.

    ResponderExcluir
  2. Lindo e tesudo texto.

    ResponderExcluir
  3. Delícia baronesa, deliciosa sempre. quero ler mais ...

    ResponderExcluir
  4. Que coisa bonita.
    Amor e amar são armas que nos pegam e nos prendem.
    É bom ter um amor (como também tenho), que se pode amar.
    Nem sempre é como gostaria, ou mesmo é absurdamente como gostamos que até assusta.
    Gostado de "Mar, amar, amor, se dor quer o mar desta dor"... do Gonzaguinha, em Maravida.
    Acho que explica um pouco.

    ResponderExcluir
  5. Na verdade, uma mulher, entre as quais estarei incluida, poderá ter sexo com diversos homens, com quem obtem, na maioria das vezes, prazer sexual, mas sexo com amor só o faz defacto com quem lhe retribui também um amor sincero

    ResponderExcluir

Cada comentário contribui para a vontade de postar mais, e melhor. Comente!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...