A primeira vez de minha filha, estou preocupada

A amiga Mara (inventei o nome) de uma cidade do interior de SP, no mandou um e-mail contando sua angústia. Por razões minhas, não vou postar o texto do e-mail, que é cheio de traços pessoais, prefiro contar a história para ela não se comprometer;

Ela me conta que descobriu por uma servente da escola de ensino médio, que sua filha foi flagrada com um menino dentro de uma cancela do banheiro feminino da escola. As meninas, uma delas filha da servente, afirmou que sabe que ela estava TRANSANDO com ele ali dentro.

A amiga Mara disse que foi avisada por essa servente, que é sua amiga pessoal, e conseguiu evitar que virasse uma fofoca maior na cidade, que é pequena. Ela está preocupada com a idade da menina, que tem 16 anos, e o menino tem uns 17. Ela pegou a menina em casa, e a fez confessar o que aconteceu, e a menina contou que foi a terceira vez dela, as três vezes no mesmo lugar.
 
Mara está horrorizada por sua filha ter perdido a virgindade no banheiro de uma escola, e estar fazendo as coisas sem qualquer cuidado, e pede alguma orientação do que fazer. Afirma que nunca bateu na menina, e que não acha que vai resolver brigar ou bater agora, que a menina é maior que ela mesma.

Respondendo:
 Mara, você está simplesmente coberta de razão! Além de não adiantar de nada bater numa menina de 16 anos, isso aumentaria a distância entre vocês. Vocês está diante de uma situação muito especial, e por que não dizer, muito bonita e importante: A primeira vez de uma menina.

O fato de ser como foi, onde foi, é reflexo de toda uma série de equívocos que essa sociedade atual tem. E já tinha no meu tempo. Se considerar que minha primeira vez foi também numa escola, ou melhor, num matagal atrás de uma escola, e que foi com meia dúzia de garotos que se revezaram, e eu não sentia carinho, amor ou tesão por nenhum deles, posso afirmar que a sociedade é muito hipócrita em relação a isso. Pois todos os adultos que ficaram sabendo, se preocuparam mais com o escândalo do que comigo. Talvez por isso eu tenha desejado permanecer fazendo sempre do mesmo jeito!

Sua filha tem 16 anos, e a maioria das brasileiras perde a virgindade com essa idade. Você não menciona com que idade, nem como foi sua primeira vez. Mas se ela não falou com você sobre o assunto, foi por uma falha SUA, que não é amiga dela o bastante. Mas sabe o que eu acho? Ainda é tempo de ser, e conquistar a confiança dela. Você me autorizou publicar sua história, e aqui está. Espero que não se chateie pela minha sinceridade.

Sua filha não está tendo cuidados. E meninos de 16 ou 17 anos geralmente não usam camisinhas por conta do tamanho ainda não desenvolvido de seus pênis. Tome coragem você, que é adulta, de comprar camisinhas de tamanho "teen", que existem nas farmácias, e ensine sobre o uso da camisinha para sua filha. O ideal seria educá-la a não fazer mais sexo no ambiente da escola, e preferencialmente, ter uma relação mais harmoniosa com o rapaz, quem sabe até, de namoro. A não deixar que ele filme, fotografe, ou que façam de modo que outras pessoas vejam. Tente conhecer o rapaz, mas se mostre ABERTA a isso. Se você tratar o que eles fizeram como marginalidade, e ela por ventura tenha gostado (pelo visto gostou, já que foi a terceira vez!), estará ensinando ela a esconder o sexo de todos. Inclusive de você, sem estar pronta pra compreender o que está fazendo.

Você chegou a meu blog. Conseguiu me mandar este e-mail. Ou seja, não é uma tola que não entende nada de sexo, e é bem safadinha, já que curte nosso blog. Que tal dedicar uns minutos por dia a conversar com sua filha sobre sexualidade? Você e ela só tem a ganhar. 

Já levou ela ao ginecologista? Já fez um estudo hormonal para de repente iniciar com anticoncepcionais? Na idade dela já está mais que na hora de uma opinião profissional. E você, mais do que na hora de ser mãe de verdade de uma menina. E seja AMIGA dela. Você parece estar encarando ela mais como um problema do que como uma responsabilidade sua.

Você É MÃE. Então seja UMA MÃE RESPONSÁVEL, e não repressora. E se educá-la, se for companheira nos exemplos, ela vai compartilhar com você os desejos que tem, e poderá estar ao seu alcance. Isso ela já demonstrou conversando e contando tudo que aconteceu. Não puna ela por ser sincera. A parabenize por isso, e aproveite a chance que ela te deu (aproveite mesmo, pois é de ouro), de ser uma confidente e amiga dela. Isso vai facilitar para que você cumpra sua obrigação de ser uma boa mãe.

Beijos da Baronesa, querida.



2 comentários:

  1. De tanto acompanhar seu blog, resolvi iniciar um meu. Sempre de parabéns pelas postagens, comentários e exemplos, Baronesa!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo post, e principalmente pelo bom senso.

    ResponderExcluir

Cada comentário contribui para a vontade de postar mais, e melhor. Comente!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...