Relatos de Leitores: "O Dia em que Abandonei minha Família"

Quando recebi esse relato, reiniciei a leitura por umas três vezes para me certificar de que era de fato de uma mulher, pois é tão típico homens fazerem este tipo de coisa, que não parece natural de uma mulher! E por esta razão, eu amei! Mas como não é conto, e sim um relato, vou resumir bastante.

Ela quer ser chamada de Mariana, é do Paraná, e tem 31 anos, segundo conta. E conta que os fatos que contaremos aqui ocorreram aos 27 anos, quando estava casada havia 5 anos, e tinha uma filha de 3 anos.

 Mariana conta que descobriu traições do marido logo no primeiro ano de casamento, e que sempre foi maltratada. Sem apoio dos pais, e com uma gravidez inesperada quando decidia separar-se, aturou os restantes anos deprimida, desprezada e sem qualquer prazer em viver, quanto mais em fazer sexo.

Um dia foi ao mercado quando o marido sumiu como de costume no final de semana, e com a filha na casa dos avós, foi fazer compras despreocupada. E foi na hora de colocar as compras no táxi, que se sentiu completamente envolvida por uma situação inédita para ela. Um jovem e belo motorista, que lhe sorriu como se a conhecesse havia anos. E conhecia, era colega de escola, e a reconheceu.


Empatia, amizade, e... a fatalidade. Pela primeira vez na vida, Mariana se perdeu de si (ou teria se encontrado?). Foi parar na casa dele, envolvida, tomada, comida, fodida, currada... E explodiu em orgasmos presos havia anos.

A loucura já parecia grande o bastante, quando ela viu o telefone tocar, e decidiu simplesmente jogá-lo fora. Mariana sabia que a filha estava segura com os pais, e decidiu que aquele seria o gancho pra separar-se. Sabia que se chegasse em casa, não saberia mentir, e que acabaria apanhando, julgada e condenada por todos, até seus pais. Mariana decidiu ficar ali, pelos três dias seguintes. E ficou.

No terceiro dia, comprou roupas novas. E decidiu sentir-se a mulher mais sexy do mundo para ir em casa, buscar suas coisas e procurar para onde ir com sua filha. E lá chegando, encontrou seu marido.

No chão estava, e no chão ficou. E foi chorando que ele pediu que ela não partisse. E chorou mais quando ela disse que não era mais dele, e que havia estado com outro homem, e que queria ainda estar. Mas entre soluços, ele a pediu que ficasse, ainda assim. E que fosse quem fosse o homem, jamais a amaria como ele amava. E a frase mais linda que uma mulher já me contou foi dita para ele:
-"Não quero ser amada por ele. Quero ser a apenas vadia que ele me fez sentir"...
Alguns instantes de silêncio, e ele respondeu:
-"Então que seja, que continue sendo. Mas não deixe de ser minha esposa, e mãe de nossa filha. Nós te amamos".

Mariana conta que foi a segunda vez que disse "sim" ao seu marido. Uma vez quando aceitou seu pedido de casamento, e a outra, quando aceitou seu pedido para ser seu capacho. Ela nunca mais fez sexo com o marido, pelo que nos conta. Mas nunca fez tanto sexo na vida, por vezes diariamente, e por vezes, até com os mesmos homens.

Mariana encontrou finalmente sua felicidade, do dia que fez 28 anos, até hoje, sendo a mãe perfeita, esposa perfeita, e vadia perfeita. E segundo ela, às vezes, as três coisas ao mesmo tempo. Mas isso é assunto para outro relato.

Obrigada, "Mariana", por se abrir com a gente! Eu adorei ler teu relato, espero que os leitores também curtam a síntese que fiz!

(Se você quiser mandar seu relato, mande pra baronesahungara@gmail.com , eu edito, corrijo, e JAMAIS revelo e-mails ou fotos de rosto).

5 comentários:

  1. Como eu queria uma esposa assim! SONHO!

    ResponderExcluir
  2. mariana
    qqr coisa me contate
    rsrsrs

    fez certinho

    parabens!

    ResponderExcluir
  3. Na minha concepção bem que o marido podia participar , mas não deu o devido valor antes...

    ResponderExcluir

Cada comentário contribui para a vontade de postar mais, e melhor. Comente!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...