Que vontade que me dá

De sentir algo assim:

Eu confesso: "Realizei o fetiche de transar com mãe e filha"

Sou representante comercial, e ando muito pelo pais inteiro, e sempre sonhei com a fantasia de transar com mãe e filha juntas. Já li contos, sempre achei que era impossível. Até que no Badoo conheci uma garota, que logo de cara se anunciou como garota de programa. Rapidinho ela negociou preço, e combinamos encontro. Quando nos encontramos, perguntei pra ela se ela conhecia alguma mãe e filha que fizessem programa juntas, e ela revelou que a mãe dela também fazia.

Realizei meu sonho. Eram mãe e filha mesmo! Muito parecidas, não tinha como negar. A mãe dela não era muito bonita, era uma mulher mais simples. Mas só o fato de ser mãe dela, tornou tudo mais gostoso. Tô realizado. Se tiverem mais mães e filhas que fazem programa juntas, podem me mandar mensagem pro telefone (editado), e marcar no estado de São Paulo.
(Paulo - SP)

_______________________________________________
Comentário:
Querido Paulo
Não esqueça que tem muito gato por lebre por aí! Seu telefone e e-mail foram apagados para não gerar problemas futuros de você mesmo pedindo pra eu apagar o post. Se alguém quiser contato com você, pode escrever pro blog (baronesahungara@gmail.com), que eu te repasso contato. Felicidades, e obrigado pelo relato.

Carta de Leitora: Professora de MG adora o Blog

Baronesa!
Eu sou fã do seu blog há pouco mais de um mês, e já li ele todo. Sou professora, tenho 26 anos, casada fazem 4. Quando vi os primeiros posts, achei que seu blog não ia durar, pois ele mexe no lado hipócrita das pessoas. Fico feliz em ver que ele segue, não queria perder contato com você, pois é uma mulher libertadora!

Eu queria contar uma coisa que tá acontecendo há duas semanas, pois fiquei excitada com seu blog ao ponto de ficar pensando nele o tempo todo.
Tenho um colega na escola em que trabalho, ele é professor também, e como eu, também é casado. 

Conversando com ele pelo facebook, acabei aceitando um convite pra sair. Terminamos num motel, e transamos loucamente. Ele é tudo de bom, e não senti nenhuma dor de consciência, apesar de nunca antes ter traído meu marido. Me senti bem, realizada, e decidida a continuar mantendo um caso com ele. 
Este aqui é o único espaço no mundo em que eu me sinto à vontade pra vir contar uma coisa dessas! Obrigado Baronesa, por ajudar uma mulher como eu a sentir-se acolhida na própria safadeza, pois os homens sempre fizeram isso, e nunca são criticados.

Na ultima reunião de fechamento de calendário da escola, estávamos na escola deserta, e eu estava com a chave de minha sala de aula. Nos enfiamos ali dentro, tranquei a porta, e ele me pegou de jeito bem em cima da minha mesa que trabalho o ano todo. Será minha mesa ano que vem de novo, e vou amar ficar olhando pra ela. 

A mesa terminou toda melada da gente, pois a tal camisinha meio que escapou dele quando ele terminou, dando uma escorrida pela mesa. E ele cometeu uma gafe, deixou a camisinha no lixo, e uma das serventes da limpeza acabou achando, e contanto pra diretora.

Todas nós recebemos ligações, pois desconfiaram que fosse coisa de alunos, e eu fiquei aliviada que não desconfiassem de mim! Meus alunos tem a faixa dos 14 a 16 anos, então não seria muita novidade, exceto pela época!

Então era isso, só queria dividir com você, e dizer que ou sua fã! Beijos em nome de todas as professoras desse país, que dão o sangue pela educação, e que podem sim na sua vida privada extravasar no prazer sexual!
(M.L. - MG)
__________________________________________________________

Amada, fico honrada por ter o blog tão lembrado por você! Obrigado por contribuir, e seja sempre bem-vinda para nos contar suas aventuras!
Beijão, e parabéns pelo ofício!

Acho que vou gostar disso.

Na verdade, tenho certeza.

Sim, nós podemos ser mais safadas do que um homem

E é melhor você irem se acostumando.

Espelho, espelho meu

Existe neste mundo uma mulher mais puta, infiel, safada, devassa e promíscua do que eu?



Se existe, que ela me procure, pra me ensinar a ser ainda mais.
Escreva para baronesahungara@gmail.com

"Estou arrependida de ter feito tudo o que fiz"

"Baronesa Húngara
Eu casei faz 9 meses depois de ficar noiva por um ano. Pouco antes de casar meu noivo me convenceu a fazer a vontade dele na fantasia de me ver ser possuída por outro homem. Era um conhecido dele. Descobri que ele já tinha feito antes, com namoradas anteriores que ele pedia para transarem na frente dele com este amigo. 
 



Eu amava ele, e fazia tudo pra agradar. Só que acho que estou arrependida. Eu tenho nojo das coisas que fiz, e não tenho mais vontade de fazer.A primeira vez que fiz me senti mal e chorei a noite toda, mas ele foi tão carinhoso e querido depois que acabei superando e tentando gostar. Ele disse que com o tempo eu acostumava. 

Só que a coisa foi ficando estranha, ele não faz mais amor comigo há mais de seis meses, apenas se masturba, e me faz transar com outros. Acho que não amo mais ele, e me sinto um objeto que só tem utilidade se tiver dando o que ele quer.


 




Ele tem mais prazer em me exibir do que em me olhar. Já peguei ele mandando fotografias minhas pra outros homens, e até postando em blogs, se passando por mim. Acho que ele nem sabe mais quem sou, só quer saber disso. Estou infeliz, e pensando em me separar, mas tenho medo de me arrepender disso também. Não sei mais o que faço".
 (Maria - SP)
____________________________________________


Querida Maria
Eu tive nós no estômago lendo teu e-mail, chequei a me contorcer de irritação, pois tive vontade de te esbofetear. Eu tenho um certo problema de aceitar e ver mulher submissa a marido. Ser submissa a macho é uma coisa, mas a marido, não me cai bem quase nunca.
Mas entendi tua situação, tua postura e tua dor. Isso nasce do amor e da expectativa do relacionamento. Mas acho que tua relação já acabou faz tempo, menina. 

A impressão que tenho, é que teu marido é um corno patológico, e não fetichista. Ele tem problemas, e realmente não te vê como a esposa dele, e sim como um objeto de prazer puro e simples. Além de uma provável homossexualidade completamente enrustida. Ele não vê você como a mulher dele, mas como uma possibilidade de ele viver através de você a própria condição homossexual. Ele precisa resolver isso e sair do armário, e você precisa viver sua vida sexual por você mesma!

Você tem o direito de experimentar o que quiser, seja com quantos homens for. Mas não tem obrigação de fazer o que não gosta. Eu amo fazer sexo com vários homens, e me sentir suja por isso. Eu SOU INFIEL pela minha natureza, e gosto de me sentir assim. Você, aparentemente não. Está de coleira, sendo uma escrava sexual de um homem que não te ama, não te valoriza, e possivelmente te vê como um mero objeto.

Quer foder com outros homens? Foda! Bastante, com muitos! Mas se não quer, não faça isso de jeito algum. Conselho? Bota na mesa. Ou a coisa ajeita (o que eu duvido), ou separa. Eu sou pelo fim dessa relação que já acabou. Tem cara que te valorizaria por aí.

E MAIS IMPORTANTE. As fotos. Antes de tudo, tenhas acesso a essas fotos, e elimine toda e qualquer fotografia comprometedora. Livre-se de tudo que puder, nem que pra isso tenhas que ser dissimulada, e fingir estar gostando do jogo, mas acabe com todas elas. Depois, dê um fim nesse constrangimento.

Beijos da Baronesa, e boa sorte.

Não confunda aparência com verdade!

 
Você nunca sabe o que pode haver por trás de história de uma pessoa. Não julgue pela aparência aquelas que você não conhece. Nem mesmo a inocência!



"Eu confesso: Faço programas e minha mãe apoia".

"Oi Baronesa!!! Quero confessar uma coisa. Tenho 19 anos, e faz cinco que eu faço programas somente com homens mais velhos que marco pelo Badoo. Somos de classe média alta, meu pai é comerciante e temos uma vida boa. Aceitei o primeiro convite de um amigo dele que me achou no Badoo e fez a proposta. Me ofereceu 350 reais só pra ficar comigo e me tocar. Acabei deixando ele se masturbar nas minhas coxas dentro do carro dele na praia. Acabei achando bom, ele convidou outras vezes e acabamos indo pros finalmentes. Ele me dá quase mil reais por mês pra fazer uma vez por semana, e tenho outros contatos do Badoo que faço quando me interessa. 


 



 
Minha mãe descobriu ano passado, me fez confessar pra ela. Me contou que anos atrás, já era casada com o pai, fez a mesma coisa pelo Orkut, e agora a gente é mais amiga do que nunca. O pai nem sonha com isso. Ele mataria a gente se soubesse. Ela não faz mais, mas disse que se precisasse faria. Disse que me apoia desde que eu me cuide e não engravide. 

To começando a namorar e ele não sabe. Acha que devo contar?" 
(Brendinha - Tramandaí -RS)
__________________________________________________
Baronesa Responde:
Bom, "Brendinha", eu não tenho nada contra prostituição, tenho lá minhas fantasias retidas e realizadas com isso. Mas realmente acho que você começou meio "cedo" pros padrões dessa sociedade moralista. Agora, sua mãe apoiar isso assim tão "facilmente" me preocupa. Será que ela está bem? Será que ela não deveria se preocupar um pouco mais, mesmo te apoiando? Espero que vocês tenha uma relação saudável com o resto da família também, e que seja todos felizes. E isso inclui o papai!

Gosto de ser uma puta. Mas de ser da forma que sou, com minha alma, através do meu corpo. O fato de você não precisar de dinheiro e ainda assim fazer programas te faz ser mais livre. Mas CUIDADO COM UMA COISA: Cuide de SEUS ESTUDOS. Tenha uma boa profissão, aprenda a ganhar a vida de maneira a NUNCA PRECISAR SE PROSTITUIR, nem depender de um homem com o papai, ok?

A melhor maneira de ser feliz vivendo a liberdade e liberalidade, com muito sexo desenfreado (e cuidadoso), é não dependendo de nada nem de ninguém. ESTUDE.
Quanto ao seu namorado, acho que depende de você. Ou confie nele para dizer algo, ou jamais diga. Não gostaríamos de imaginar que ele viesse a te chantagear com essa informação daqui algum tempo, né?

Beijos da Baronesa.



Nossa filha nos flagrou fazendo sexo: Como lidar com isso?

"BARONESA HUNGARA. SOU DE MACEIÓ, CASA HÁ 12 ANOS. MINHA FILHA DE NOVE ANOS NOS PEGOU NO MEIO DO ATO SEXUAL. A GENTE NÃO PERCEBEU QUE ELA ENTROU E ABRIU A PORTA DO QUARTO PQ O CORREDOR TAVA COM A LUZ APAGADA. SÓ FUI NOTAR QUE ELA TINHA VISTO QUANDO OUVI ELA CHORANDO NA COZINHA, E A GENTE JÁ TINHA FEITO TUDO.
PERGUNTEI PRA ELA O QUE ELA VIU, E ELA DISSE QUE VIU TUDO QUE A GENTE FEZ, QUE FALOU COM A GENTE E A GENTE NÃO RESPONDEU. EU JURO QUE NÃO VI ELA ALI, TÔ SENTINDO MUITA RAIVA DE MIM POR ISSO. DISSE PRA ELA QUE QUE A GENTE TAVA FAZENDO CARINHO, MAS ELA CHOROU E DISSE QUE SABIA QUE NÃO ERA ISSO. 

EU NÃO SEI O QUE DIZER PRA ELA, E TO COM MEDO QUE ISSO FAÇA MAL PRA ELA, ME SENTIDO A PIOR MÃE DO MUNDO. MEU MARIDO TÁ COM VERGONHA DE FALAR COM ELA AGORA, E EU NÃO SEI O QUE FAZER. ACHO QUE ELA JÁ FALOU ALGUMA COISA COM O IRMÃO MAIS VELHO, QUE TEM 14, DO MEU PRIMEIRO CASAMENTO. ELE TÁ ESTRANHO TAMBÉM SEM FALAR MUITO COMIGO. TO DESESPERADA. ACHA QUE PRECISO PROCURAR UM PSICÓLOGO?" (MARA - ALAGOAS)

Querida Mara, CALMA!
Tá tudo bem, isso acontece muito, não pense que crianças são serezinhos frágeis que quebram com qualquer choque! A maioria das crianças, aos 9 anos, já presenciaram situações envolvendo sexualidade dos pais, e isso não é um problema. O que pode ser um problema é você passar a vida ensinando que sexo é uma coisa errada e suja, e ser pega se contradizendo! Mas se você conversar com ela, explicar que vocês são adultos, e adultos fazem coisas que crianças ainda não compreendem, pois SE AMAM, são papai e mamãe, a coisa muda.

Ela é uma criança, e crianças são INTELIGENTES! Acredite, conversar ajuda muito. Ela possivelmente enxergou atitudes agressivas na relação sexual de vocês, pois se nunca viu nada parecido, é assim que enxergam quando veem o sexo. É um comportamento diferente do dia-a-dia, passa a impressão de violência, não de amor. Isso cria um pequeno e rápido trauma na criança, que passa com uma simples conversa e prova de amor entre vocês todos.

Parece que ela se sentiu "desprezada" quando vocês não responderam a ela. Então trate disso, diga a ela a verdade, que não a perceberam, por que naquele momento, quanto estão "namorando", vocês ficam desatentos. Mas que a amam muito.

Ensinem ela que não pode entrar no quarto a mamãe e do papai sem bater na porta antes, para que ela aprenda a respeitar a privacidade de vocês. Converse com seu filho mais velho, ele provavelmente já compreende melhor as coisas, e contes que além de pai e mãe, vocês são homem e mulher, e que uma vida saudável de casal tem seus momentos íntimos.

Acredite, você não fez nada de errado, foi um simples incidente que será contornado com algumas conversas. 

Beijos da Baronesa





Pervertendo os desenhos

Me apedrejem se quiserem! Mas eu ADORO quando pervertem os desenhos animados e quadrinhos!
(Meus estranhos fetiches!)







Baronesa responde: "Eu sou virgem, mas gosto de chupar. Isso é perigoso"?

Temos uma nova seguidora no Blog, que parece cheia de dúvidas e questões. Mas vou responder apenas as principais, tá Rafa?
A Rafaela é do RJ, não disse a idade dela, mas conta que ainda é virgem, mas que viveu algumas experiências incomuns para meninas inexperientes. Conta também que no começo deste ano, um professor de educação física, que ela sempre achou lindo na escola dela, a convidou para sair, e que depois de um pub, foram parar no apartamento dele, onde tentaram fazer sexo.

Na tentativa de penetrar, ela confessou que era virgem, e por causa da dificuldade, desistiram, mas ele insistiu para que ela fizesse sexo oral nela, e pela primeira vez na vida, ela fez.

Mas não parou por aí. Rafaela disse que passou a adorar fazer, e que depois da experiência, teve várias situações em que chupou outros rapazes, em baladas, na praia.

 A Rafinha disse que chega a propor isso para os rapazes mais tímidos, pois sente tanto prazer com isso, que não tem vontade de ser penetrada, só sentir-se bolinada e sentir os jatos de gozo dos rapazes, e que se masturba muito lembrando de tudo depois.








 Pois é, Rafaela, eu posso dizer pra você que conheço bem essa história, vivi coisas muito parecidas, e acho que era mais nova que você, embora não saiba sua idade. Mas vou focar nas suas questões, e em alguns detalhes, tá? Preste atenção, pois vou te dizer coisas muito importantes.

1 - É normal gostar apenas de chupar?
- Não existe "normal" na sexualidade. Existem preferências. Mas acho que você pode experimentar as coisas, talvez seja positivo pra você tentar se relacionar de forma mais plena, desde que seja mesmo sua vontade. Quem sabe você não tenta? Mas com a pessoa certa, e sempre de camisinha, tá?

2 - Minhas amigas dizem que chupar não passa doença. Engolir a porra passa doença?
- Sexo oral pode sim passar doenças, como HPV, hepatite, e várias DSTs. Você fala muito na Aids no seu texto, e sim, pode pegar HIV no oral. Por isso, use camisinha, é mais seguro. Engolir o sêmen pode passar doenças justamente por que exige que se faça sem camisinha. O risco é menor que na penetração, mas também existe. Então não pense que está mais segura apenas chupando.

3 - Chupar desconhecidos é uma tara muito maluca?
- Existe uma prática chamada Dogging, não é muito comum, mas alguns casais e mulheres gostam de interagir com estranhos em locais específicos.

Mas tenha cuidado, leia mais sobre o assunto, e pensa na sua segurança em todos os sentidos. Sua saúde em primeiro lugar, e não vá se meter com estranhos por aí, sem a certeza de que alguém não vá fazer mal a você e seu parceiro.




 4 - CUIDADO COM FOTOS:
Não deixe ninguém filmar ou fotografar você, menina, pois você tem muitos parceiros, pelo visto.  sua paz pode acabar se colocarem fotos suas na internet.
Você mandou fotos para mim com seu rosto aparecendo, e acho que foram tiradas por garotos, né? NÃO FAÇA MAIS ISSO, não mande fotos suas para sites.

TODAS AS FOTOS POSTADAS AQUI são da internet. Eu JAMAIS posto fotos que revelem a identidade de um seguidor. Não mande pra mais ninguém, menina, e crie juízo.

Beijo da Baronesa.






Tem menina que ilude

Você pode pensar que aquele rostinho inocente de menina é fácil de enganar, levar pra cama e comer fácil, né?

Depende muito de quem educou!












Vai que você pensa que ia buscar lã, e sai tosquiado? (Risos!)

Quem pode acabar comido é você!





Incesto - Esse fetiche mexe vom você?

Desde que comecei o Blog, recebo muitas propostas e sugestões de abordagem para as postagens, que o pessoal envia para meu e-mail: baronesahungara@gmail.com

Mas um me chama a atenção por ser recorrente, mesmo sendo muito pouco abordado, e quase tratado como crime, mesmo não sendo, desde que envolva pessoas maiores de idade: O Incesto.

Mas que fique claro, qualquer abuso ou ilegalidade é repudiada por todos nós.

Nem tudo que fantasiamos é posto em prática, muitas coisas ficam apenas no mundo da imaginação, fazendo de nossas atividades íntimas um pouco mais intensas, e dando um prazer mais fantasioso mesmo. O incesto é um deles. Mas sei de pessoas que viveram isso na realidade, e algumas já me mandaram relatos, que evito postar para não causar muita polêmica. Mas já deu para chegar a algumas conclusões:

A fantasia mais comum é entre pai e filha. Mas
veja bem, geralmente na FANTASIA. Geralmente uma mulher fantasia com seu parceiro, vivendo um roleplay como se estivesse com o próprio pai.

Mas especialmente em temos passados, era muito comum filhas casarem-se com seu pai viúvo, e seguirem vivendo maritalmente por toda a vida.











Mãe e filho:
Apesar de mais rara, é  segunda notícia mais recorrente. Conversando com amigos no meio, descobri que há muitos rapazes que fantasiam e se masturbam pensando ou projetando as figuras de suas mães. E embora raras, algumas mães sentem misturado ao instinto maternal o impulso de acolher, proteger e satisfazer seus filhos. Isso pode levar à excitação.

Mas o mais comum mesmo, são mulheres que tendem a preferir meninos mais jovens, projetarem neles uma proteção maternal. Sem saber, estão fantasiando um projeto bem incestuoso nas fantasias.




 

Mãe atraída pela filha:
Raríssima fantasia, mas que acontece geralmente quando há uma relação entre mãe, filha, e um terceiro parceiro. Para a mãe, satisfazer seu macho pode ser tão deleitoso, que a ideia de misturar a filha na fantasia pode acabar numa prazerosa brincadeira, dentro dos limites de todos.







 Filha atraída pela mãe:
Nunca ouvi falar. Mas amei o desenho!










Historicamente, o sexo entre irmãos aconteceu mais na prática do que na fantasia. Em épocas mais remotas, quando a mulher era socialmente submissa ao homem, há muitos relatos até históricos, em que as meninas era "usadas" nas iniciações de seus irmãos. Há mais relatos entre irmãos homens do que entre casais. Gravidez entre irmãos também era recorrente, tenho até um caso meio pouco divulgado em minha próprias família. Mas isso pouco tem de fantasia, são fatos mais históricos mesmo.



Atrações sexuais veladas:
Embora potencialmente "ilegal", acontece mais que se imagina, entre mães que, ao darem banho nos filhos, percebem que se excitam e tem ereções. É biológico, pouco tem de FANTASIOSO, pois o menino começa a compreender a presença de fêmeas ainda imaturo sexualmente. No reino natural, não existe distinção de fêmea familiar ou não. Fêmea fértil é fêmea interessante.

Só com o tempo há essa distinção. Mas isso nem de longe se confunde com comportamento sexual social.






E você, o que tem para falar sobre o assunto?
Mande para baronesahungara@gmail.com com, ou comente aqui nessa postagem!

Respostinha à indiganação de leitora

Tem uma senhora (mais uma), que está indignada com o conteúdo do blog. Me manda e-mails bordados de ressentimentos profundos e lamentosos.

Bem, Dona G., vou dedicar essa imagem para a senhora:

 




 É assim que a senhora gosta?



































Tomara que sim, mas se não for, saiba:
EU ADORO!

A prima favorita


Faz muitos anos que não vejo a maioria dos meus primos. Mas nunca esqueço que eu era a prima favorita. E até os primos mais velhos gostavam de vir brincar de boneca comigo.

E quantos segredos se perderam em meio às brincadeiras naquelas casinhas  de bonecas que fazíamos.

Você se lembra de algum segredo seu?
Conte pra mim, mande pra baronesahungara@gmail.com


Mulher fácil?

Me seduzir... Ou melhor, ME COMER é muito fácil. Não tem mistério nenhum.
Difícil é me encontrar e me chamar atenção.

- Vem, moço. Coloca aqui dentro, e faz rapidinho, antes que apareça alguém.


A primeira camisinha

 Pra quem acompanha o blog desde o início, minha iniciação sexual bastante prematura não é novidade. E não cabe aqui discussão moral sobre isso, sei que minha vida foi um acidente de percurso como um monte de outros de que as pessoas tem notícia, mas raramente admitem.

Quase todo mundo já ouviu falar da menina promíscua da escola, que os meninos fazem fila para comer em algum canto escondido do prédio ou dos matos ao redor (no meu tempo, escolas retiradas, ainda existiam enormes espaços externos, poços artesianos e coisas do tipo). Pois bem, o destino se encarregou de me fazer ser essa menina. E havia outras como eu. A maioria delas não se deu nada bem na vida, em sentido nenhum.

Mas cresci, me tornei uma mulher bem sucedida, me tornei mãe de uma linda menina, e esposa de um bom marido. Segui promíscua, e talvez por alguma compensação, me tornei uma mulher infiel por opção. E escolhi para dividir a vida o homem que na imaturidade de nossa pouquíssima idade, ainda menina, dividia o meu corpo. Ele me amava mesmo vendo diante dos olhos dele, mais de um terço dos meninos de nossa escola me usarem com um brinquedo imundo no recreio. Ele me olhava com tristeza e amor. No fundo, queria me ver fora daquilo, mas talvez nunca tivesse sequer me olhado se não estivesse ali.

Bem, agora que contei parte dessa história novamente, vou responder a pergunta do Dr. L, de BH, que parece ter se preocupado muito quando me enviou o e-mail, identificando até sua especialidade médica ao me questionar sobre a "segurança" de minhas "brincadeiras".

"Vi que relata suas experiências como uma habilidosa blogueira de contos eróticos. E não me cabe questionar a veracidade de seus relatos, entretanto é importante mencionar que raramente você menciona uso de camisinha, ainda mais quando conta sobre sua iniciação com um grupo de parceiros. Já pensou que pode estar dando um péssimo exemplo para jovens que leiam sei blog"?
(Dr. L - BH).

Obrigado pelas palavras de apoio, Dr. L, e o senhor tem razão. Não sou nem de longe um bom exemplo. Pois relato realidades que não são nada morais. São apenas REAIS.

Não iniciei minha vida sexual usando camisinha por uma razão muito simples: Naquela época, anos 80, camisinhas não eram vendidas com facilidade nas farmácias. Meninos não tinham nem coragem, nem um pênis com o tamanho que coubesse numa camisinha. Elas praticamente não existiam.

E eu, no auge de minha imaturidade, não tinha o menor controle sobre isso. Imagine você um grupo de uma dezena de meninos afoitos, ansiosos e arteiros, formando um pequeno tumulto atrás de sua bunda, enquanto você está apoiada sobre o tampo de um poço. Imagine que você não sabe quantas mãos estão em você, umas abrindo suas nádegas, outras apalpando seu corpo. Imagine que dedos, objetos indefinidos, são introduzidos no seu ânus, em meio a risadas frenéticas, e uma indiferente truculência.

De vez em quando eu conseguia identificar quando era um pênis, pois era mais quente, e tinha movimentos mais regulares. Mas depois do quarto ou quinto garoto, eu já não identificava mais as sensações, somente os movimentos.

Havia dias em que conseguiam estabelecer uma regra: "não acabar dentro", para que aquele divertido "buraco de foder" ficasse "limpo" por mais tempo. Alguns tinha nojo do gozo uns dos outros. Outros, pareciam preferir, e ficavam por ultimo. Dá pra imaginar, Dr. L, o tamanho do risco de doenças ali, não é mesmo?

Não sei o tamanho de minha sorte, que me fez chegar completamente saudável, sem jamais pegar qualquer tipo de doença, até o presente momento.

Acho que não gosto de falar da camisinha, por que a primeira que vi, certamente não foi a melhor experiência.

Professor J., flagrou esta cena que descrevi, ainda nos primeiros meses em que isso ocorria regularmente, quase semanalmente. Depois de repreender a todos, e me levar para a secretaria, logo que a aula começou e todos sumiram dos pátios, ele me levou lá novamente, dizendo que queria que eu contasse tudo que acontecia. Era estranho, pois eu sabia que ele sabia.

"Foi aqui que eles te colocaram"? - Já me colocando de bruços sobre o poço. -"Aqui que eles mexiam? O que tem aqui? Machucaram você?" - A dor era aguda e rasgada, pois ele custou a perceber que não era na minha vagina virgem que eles brincavam. Era impossível penetrar minha vagina, aprendi a me contrair de forma invencível por causa daqueles meninos afoitos que não conseguiam coordenar isso.

Quando o professor J. se calou, eu respirei fundo. E dali, só lembro da respiração ofegante dele. Solavancos e meus olhos fechados.

A camisinha me marcou por que vi ele a retirando, parecia um pedaço de pele saindo, fiquei com muito nojo. Nojo e medo, pois ali, sem qualquer cerimônia, tive minha inocência oral devassada. Cheguei a desejas quer ele fizesse tudo de novo, só pra tirar aquilo da minha boca. Ele parou quando eu vomitei. Fiquei olhando a camisinha jogada ao lado, com um certo horror. Não dos fatos, aquilo para mim era quase normal. Mas aquela coisa nojenta, que parecia um pedaço de pele, lembro nitidamente de meu nojo.

Dali fui para mais uma aula normal.

Devo ter levado mais de um ano para ver uma camisinha novamente, Dr. L. Se uma coisa dessas ocorresse hoje, certamente teríamos um enorme grupo de pessoas doentes, com muitas DSTs e provavelmente HIV. Acho que cabe sermos mais vigilantes com nossos jovens e crianças, pois se seguirmos ignorando o fato de que eles se descobrem por eles mesmos, estaremos os deixando à mercê de riscos como os que corri, e tragédias das quais não me orgulho de ter vivido.

Dr. L, eu estou muito bem, obrigada. Agradeço pela sua preocupação, e parabéns pelo seu trabalho de conscientização.

Meus sapatos novos

Eu não gostei muito dos sapatos. Mas o vendedor era irresistível. Então levei os sapatos só para deixar meu telefone. Na mesma noite, estreei os sapatos com ele.

Pena que meu marido nem reparou nos sapatos quando cheguei em casa. Que repare na fatura do cartão, então.

Aprendizado

Talvez se eu tivesse aprendido assim:






Quando você sair de mim

Quando você sair de mim
Não esqueça que parte sua fica
Assim como eu fico
Um pouco, parte
Em você

Quando você sair de mim
Me deixa larga
Me deixa grande, leve e funda
Me deixa toda alagada
Do teu leite que me inunda

Me deixa pura e alva
Me deixa imunda.

(Baronesa Húngara)



Pureza na loucura


Que minha loucura dilua minha pureza. E que gozem na minha pureza usando minha loucura.







Pergunte pra baronesa: "Brincadeiras envolvendo sexo é perigoso"?


  Já que estou habituada com os moralistas de plantão, que preferem ignorar completamente que sexualidade é um assunto que envolve todas as faixas etárias, desde que com o respeito da seriedade em cada assunto, vou omitir partes do e-mail da amiga do MS que enviou essas perguntas.

Ela conta que ao observar sua filha de idade pré-escolar brincando com suas bonecas Barbie, notou movimentos e brincadeiras estranhas. Ela colocava as bonecas entre as pernas umas das outras, e simulava movimentos que pareciam com sexo.


 -"Ela nunca viu uma cena de sexo que eu saiba. Como pode ela saber que as coisas são assim? Fiquei assustada, pq ela não tem convívio com mais  ninguém além de mim. Nem meu namorado jamais fica sozinha com ela, o que descarta abuso sexual. Tenho medo e levar ela no psicólogo e acharem que ela sofre abusos, eu não sei a quem recorrer".
-"Eu conversei com ela, tentando fazer ela dizer o que pensava que estava fazendo e ela não explica aquilo. Diz que eles estão brincando, e repete os movimentos. Fico constrangida e com medo que ela faça isso na frente de alguém. E já vi ela se esfregando sozinha quando vê um certo ator na TV e fico horrorizada como ela diz que fica com 'uma coisa no corpo' quando vê o camarada. Eu não deixo mais ela ver novela".
 -"Isso é normal? Devo procurar um psicólogo? Será que não vou ser mal interpretada"?
(?


Querida amiga
Acho que você precisa sim conversar com um profissional, um psicólogo. Mas muito mais para dar uma verificada nesse seu temor absurdo de que sua filha sinta as mesmas coisas que você sente, do que por problemas dela. Sua filha é ABSOLUTAMENTE NORMAL. Crianças também tem sexualidade, e também se exploram. Algumas mais cedo, outras mais tarde, mas todos nos descobrimos sexualmente ainda crianças. Isso só precisa ser SAUDÁVEL.

Não acho que sua filha esteja tendo pensamentos eróticos com os bonecos. Ela nem tem ainda maturidade pra compreender. Provavelmente viu em alguma novela movimentos sexuais, e isso "marca" a memória infantil, pois está ligado aos instintos. E se você tem um comportamento muito repressor quanto a isso, marca ainda mais. Então cuidado com a forma como você está lidando com isso. A proibição poderá causar a ela mais curiosidade. Converse, seja amiga e companheira dela. Ensine o que ela pode e o que não pode fazer perto de outras pessoas. Simplesmente proibir cria na mente dela curiosidades que ela não precisaria ter nessa idade.

Você possivelmente sofreu com alguma anormalidade sexual em sua vida. Seja uma experiência ruim, seja frustração sexual com os homens em geral, seja algo mais grave. Sua filha aparentemente não. Então preocupe-se mais com você, amiga. Sua filha só precisa de orientação. E você, precisa perder o medo de buscar auxílio para compreender as coisas.

Não sei como você foi educada sexualmente, ou mesmo se foi educada sexualmente. Mas sugiro que cuide disso. Que se liberte um pouco da sensação de que sexo é sujo e perigoso. O meu sexo é sujo e perigoso. E você veio ao meu blog olhar coisas sujas e perigosas. Se fez isso, é por que algo na devassidão te atrai. E isso é compensação de algo. Então repito pra finalizar, o problema, aparentemente, é você. Sua filha só está brincando, e elegendo o tipo masculino que ela projeta como pai, e como homem ideal para reproduzir no futuro, quando for adulta. Isso é o início da fase do  "complexo de Édipo", de Freud.

Procure um analista, amiga, nem que seja só pra perceber que está tudo bem com vocês, e que só precisas te sentir mais segura.

Beijo, e qualquer coisa, me escreve de novo.

Baronesa.

Pervertida desde menina: Mágico de Oz

Sim, eu sempre imaginei gang bangs onde quer que houvesse uma mulher e vários machos. Fossem eles o que fossem, espantalhos, homens de lata ou leões.


Fico sempre feliz de encontrar pessoas que pervertem os clássicos e os desenhos, pois me sinto menos isolada pela minha devassidão nesse mundo!


























(Obrigada, Ulisses, meu lindo, por me mandar as imagens!)


Pergunte pra Baronesa: "O que você acha de swing e sexo a 3?"

"adorei a sua sessão de perguntas e respostas.
O que vc acha de swing e sexo a tres?
Tenho motivado muito minha mulher sei que ela curte mas ainda não se soltou plenamente.
Por que as mulheres criam estas barreiras hipócritas?
Abraços e continue com o excelente blog.
(Juca - MT)"
 
Juca, eu acho o sexo à 3 muito gostoso. Especialmente se rolar total liberalidade, inclusive sentimental. Já tive namorado que curtia até uma pegada romântica entre nós três. Mas gosto mais com dois homens. Raramente me dou bem com outras mulheres, geralmente são muito púdicas pro meu gostinho. Gosto mais de homens por que não tem muitos limites e frescuras.

Entre casais, acho que pode ser uma das práticas mais saborosas da relação. Mas precisa conversa e maturidade. Não são todos os homens que estão prontos para dividir suas amadas com outro macho. Na minha visão, eu sou dona de mim, então quem se divide com os dois sou eu.











Já o swing, eu acho muito relativo. Como mulher, esposa, eu nunca gostei. Acho que dividir a atenção com outra mulher não é bem a minha praia, gosto de estar no centro das atenções. Prefiro vários homens interessados em mim, me usando, do que o swing. Mas quando um homem que me interessa muito me usa em um swing, gosto da sensação de dar prazer a ele assim.





Eu confesso: "Uso fotos da minha mulher pra conseguir homens pra mim"

"Peço que por favor não divulga meu email nem meu nome porquê uso o mesmo email pra outras coisa. Eu vi a sessão do blog que tem confissões e fiquei com vontade de fazer a minha e isso tá me dando até um alivio de escrever. Um pouco de tesão também. Eu fiz um perfil num site de swing com fotos da minha mulher de calcinha, e no meio deas fotos coloquei umas minhas de calcinha também, de bunda. Muitos homens nem notam, pois minha bunda é tão bonita que nem a dela. Eu gosto dos comentários.

Um dia marquei encontro com um negrão muito bonito. Eu tinha visto fotos do pau dele, que é bem grande e me intereesei em encontrar. Tenho muito tesão na minha mulher que é uma gostosa, mas desde garoto tive lances com homens. Dei para alguns estranhos durante a vida, e sinto tesão em fazer isso só de vez em quando. Falei pro cara que era eu de calcinha, ele não acreditou. Disse que mostrava pra ele se quisesse, mas que minha mulher não sabia de nada. Nem poderia saber. Ela não quer sair com outros homens. Então pra não sair sem nada, ele disse que me comia se eu fosse que nem na foto. E eu dei pra ele. Ele gostou tanto que quer de novo, na semana que vem dou pra ele de novo e venho aqui contar. 
Obrigado musa inspiradora - (P.C. - RJ)"


PC, posso ser muito sincera contigo? Não sei se viver essa desonestidade é uma boa ideia. Assim como um que outro vão acabar "caindo nessa" só pra não perder viagem, muita gente cria expectativa e se decepciona.

Já pensou em criar um perfil com fotos suas (claro que não de rosto), e procurar pessoas que realmente curtam sexo com um homem passivo? 
Acho mais honesto, e você vai ser muito mais completo e feliz.

Não postei as fotos que você mandou por que não combinam muito com o blog, tá? Beijo, e continues escrevendo pra gente.

Baronesa Húngara








____________________________
Se você quer compartilhar alguma coisa com a gente, escreva para baronesahungara@gmail.com
Não compartilho fotos pessoais, se mandar algo com rosto, eu retiro para não dar problemas. E não divulgo nomes reais, anúncios ou e-mails NUNCA, ok?

O bom de ser uma mulher adulta



O bom de ser uma mulher adulta é poder trazer pra realidade as brincadeiras que eu gostava de fazer com minhas bonecas.




Da Série "Confissões": - "Eu uso minha filha pra me dar bem"

Recebi uma confissão já tem uns dois meses quase (pelo e-mail baronesahungara@gmail.com), e não conseguia tempo pra fazer a leitura detalhada e edição dos detalhes, e apesar de parecer surreal, resolvi compartilhar. 

No e-mail, a amiga J. conta que quando passou dos 40 anos, teve sérios problemas de autoestima, e inclusive passou a ter conflitos com a filha, como uma espécie de "compensação". Foi quando, ao conhecer um namorado recente da filha, resolveu aproveitar uma oportunidade à sós com o rapaz, enquanto ele esperava a filha chegar da faculdade em casa, e colocou na mesa: "Não quero minha filha fazendo sexo com qualquer um". Colocou o rapaz numa situação bem crítica, dizendo a ele que cuidaria eles de perto.

E foi num segundo encontro deles, que ela resolveu se desculpar com ele pela situação constrangedora, e que o admirava por ele não ter falado nada à filha, pois sabia que ela faria um escândalo com ela se soubesse.
-"Nessa hora a coisa esquentou e ele confessou que apesar das minhas recomendações, eles transaram, mas que ele não era o primeiro. Que eu estava vigiando mal a minha filha. E deu um sorriso tão safado, que não resisti. Sorri muito de volta, e senti o que não sentia há muito tempo. Tesão".

Bom, ela conta mais algumas coisas, e o óbvio. Ela traçou o rapazinho, mesmo morrendo de culpa. E passou a se sentir mais mulher, mesmo morrendo de medo que a filha soubesse. Mas na situação, descobriu que a filha que tanto protegia, era uma devassa, e já fazia desde muito cedo coisas que ela com mais de 40 anos, jamais havia feito.
 J. conta que transou ainda com outro namorado da filha, depois de conversar com ele no facebook alguns dias. E numa enorme crise de culpa, contou pra filha.

A surpresa foi a filha dizer que já sabia, que aquele primeiro rapaz com quem a mãe transou, contou pra ela quando terminaram. E a surpresa ainda maior foi quando ela disse que também sentia culpa, pois perdeu a virgindade com um namorado da mãe. E tanto ela quanto a mãe, sabiam que ele era casado com outra mulher, e amante das duas.

Mãe e filha choraram boa parte da noite, e dormiram abraçadas, numa reconciliação que mudou a vida delas. Passaram a ser amigas e confidentes. Pri, a filha de J., disse para a mãe que na verdade ficava com vários garotos. E gostava disso. Que se a mãe realmente se interessasse, podia sair com alguns deles.

J. conta que ela e Pri brincavam com a confusão dos rapazes quando iam à sua casa, e percebiam que a suposta "sogra" dava em cima deles. J. superou todos seus traumas, a amizade delas se tornou uma bênção. Na ocasião em que mandou o e-mail, J. disse estar feliz e triste com o fato da filha estar se casando em breve. E o marido era um rapaz maravilhoso, e ela jamais sentiu à vontade para fazer as brincadeiras com o rapaz. Afinal, este seria seu genro verdadeiramente. Mas feliz pela felicidade da filha, que estava saindo da juventude para viver sua maturidade de forma sadia, e formar sua família.

Achei a história linda, pra ser sincera, mesmo no meio de tanta depravação. E confesso, repensei a minha relação com minha filha. Ainda assim, não sei se seria capaz de viver isso! Forte!





Pergunte Para a Baronesa: "Tapinha do namorado? Nem pensar!"

Para enviar perguntas, questões e pedidos de opinião, envie seu email para  baronesahungara@gmail.com

Mas lembrem-se: 
Não sou uma psicóloga, nem terapeuta, nem um modelo de cidadã. Eu sou o que vocês podem pensar de pior de uma mulher honesta: SOU UMA FÊMEA INFIEL. Portanto, se me fizerem uma pergunta, saiba que é a opinião de uma mulher infiel, controladora, egoísta e nada exemplar que vai responder, ok?
________________________________


"BARONESA, 
Sempre fui mandona e controladora do meu noivo, e esses dias estava na cama com ele e ele me deu um tapa na bunda, e eu odiei muito, fiz ele parar tudo, e acabamos brigando. Só que já tomei tapas na bunda de outros homens antes e eu gostava. Até me dá tesão quando penso em outro fazendo, mas quando ele faz me dá raiva. Isso é normal, você já sentiu isso?
H.TINHA 7LAGOAS - MG
"

Baronesa Responde:
Tinha, na minha experiência, gostar de algumas coisas com certos homens e não gostar com outros é bem normal. Muitas amigas minhas se sentem mais a vontade com uns homens do que com outros. Eu não admito que meu marido me dê um tapa na bunda também, e alguns homens com quem saio também não.

Mas tem uns homens que...! Nossa! Quero mais é que me batam quem nem aquele Grey do 50 Tons de Cinza!

Você é normal, menina, relaxa! Só precisa colocar as coisas no lugar. Se não gosta que ele faça, converse com ele e avise! Mas se ele fizer questão, bem, conversem e se entendam. Relações também precisam de um pouco de flexibilidade dos dois lados!




___________________________________________________________________________________

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...