INSTINTO MATERNAL, TESÃO E RELACIONAMENTO


A mulher tem na própria natureza o instinto de proteger, de amar, de acolher. Por isso uma das coisas que mais imperam no seu comportamento, é a tendência a tentar ser "a mãe" dos homens com quem se relaciona. Ela cuida, protege, procura fazer com que ele se sinta sempre seguro e bem.

Mesmo gostando de ser protegida, ela cuida de seu homem como se cuidasse de sua cria, e geralmente tende a se afeiçoar sem entender nem mesmo as razões por homens muitas vezes imaturos.

É por isso que quando olho um meninão como esse desta imagem, me vem uma vontade imensa de acolher. 


De acolher dentro do meu abraço, de acolher entre minhas pernas, de acolher esse brinquedão lindo dentro de minha boca, descansando mesmo, assim como está (e ainda assim é enorme!), ir abocanhando assim de baixo pra cima, tentando o impossível: Engolir inteiro.

Acho que por isso Deus nos fez capazes de gerar pessoas. De abrirmos as pernas para entrar o amor, enfiar o prazer pulsante e latejante para dentro. E também para de dentro de nós sair a vida.

É quando entendo as coisas que a vida ensinou, pois diante de um homem assim, tão desprotegido, posso ser uma dama altiva, forte e protetora, em pé e ereta. Para quando ele estiver seguro, poder cair de quatro, e oferecer-me como uma cadela. (E como amo me sentir cadela).

Baronesa

2 comentários:

  1. Linda postagem! E com este instinto materno, você pode inclusive permitir-se fantasiar muito. Aí, vamos ter um lado incestuoso, inclusive. Bem maternal: se você tem esse instinto de mãe, pode (e deve!) acolher esse macho desprotegido e carente. Dar de mamar para ele, acolhe-lo dentro de você para acalmá-lo e protegê-lo. E como toda mulher com instinto maternal, até mesmo mãe simbólica deste menino, poder acariciar os lábios dele com os teus, tua língua conhecer a dele, a saliva dos dois se misturar em uma química deliciosa e proibida, percorrer o corpo dele com tuas mãos protetoras e carinhosas. E ele, como é teu menino, tem necessidade e direito de ti. Teu corpo e tua alma. Tu és dele, assim como ele é teu! Altiva que és, eretas que fica, quando vocês ficarem à sós e ele se sentir mais seguro e amparado, aí que você pode ficar de quatro para ele. Ele tem todo o carinho, vigor e urgência de estar dentro de você. E como você é dele, nada mais natural ele colocar vida em teu ser, pôr um bebê em seu ventre. Seus cheios incharem. Sua barriga crescer. Um elo muito bonito e bacana entre vocês. Delicioso.

    ResponderExcluir
  2. Quando será que a sociedade deixa de condenar o relacionamento sexual entre um filho e a pópria mãe, desde que seja por vontade de ambos, especialmente para mães viuvas ou divorciadas.

    ResponderExcluir

Cada comentário contribui para a vontade de postar mais, e melhor. Comente!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...